+ "O que vos é dito aos ouvidos, proclamai-o sobre os telhados" (Mt 10, 27) +

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

sábado, 24 de dezembro de 2011

ONDE ESTÁ A FILA PRA VER JESUS???


No natal costumamos ver muitas filas. Filas para pagar presente, filas para participar de promoção, filas para ver papai noel...
Assista este vídeo...



sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

125 - Revolução





Mais uma poesia do nosso irmão Alexandre Sousa do site Escrevendo e Semeando, declamada por ele mesmo.
Nestes Versos ele nos fala sobre uma Revolução nas Artes para que possamos anunciar e viver Nosso Senhor Jesus Cristo com Amor, Verdade e Fidelidade...
Deus o abençoe!


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

124 - Impedimento


Vamos começar aqui no nosso podcast uma série de poesias que refletem realidades de nossa vida cristã, de nossa vida espiritual. É o começo de uma grande parceria com nosso irmão Alexandre Sousa, da Comunidade Recado. Esta comunidade tem a missão de evangelizar através da arte, especialmente, da música. O Alexandre tem um lindo blog onde ele posta poesias de grande espiritualidade. É o "Escrevendo e Semeando". Que eu amei desde a primeira vez que li. Recomendo enormemente! 
Nesta poesia desta semana, declamada por ele mesmo, ele fala sobre o pecado que nos impede muitas vezes de alcançarmos as Graças de Nosso Senhor, mas com o auxílio da confissão, podemos retornar e marcar o "gol" da salvação e estarmos preparados especialmente para receber Nosso Salvador na Eucaristia! É a poesia com o título de "Impedimento". O texto desta poesia você encontra clicando aqui.
Quer conhecer o site dele? Acesse aqui: escrevendoesemeando.com !



domingo, 11 de dezembro de 2011

DOCUMENTÁRIO: MANTO DE Nº Sª DE GUADALUPE


Documentário completo sobre o inexplicável milagre do Manto de Nossa Senhora de Guadalupe!!!
A ciência não tem explicação para certos mistérios...


sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

123 - Músicas para o Natal




Feliz Natal!!!

Trazemos até você uma coletânea de músicas que falam do Natal! Do Natal Cristão... 
Digo do Natal Cristão, porque estão paganizando o natal dando tanta ênfase ao consumismo, papai noel, etc.
Infelizmente muitos nem se lembram do aniversariante!
Sim, Jesus, Nosso Senhor é o aniversariante!
Ainda que a data do nascimento de Nosso Senhor possa não ser 25 de Dezembro, esta é a data que escolhemos para comemorar o Amor de um Deus que quis se fazer homem, como diz na carta bíblica aos Filipenses: "Ele tinha a condição Divina, e não considerou o ser igual a Deus como algo a que se apegar ciosamente. Mas esvaziou-se a si mesmo, e assumiu a condição de servo, tomando a semelhança humana."

Apesar de que há estudos que aprovam a provável data de nascimento de Jesus como 25 de Dezembro mesmo! Clique aqui e leia a matéria!

Aproveite esta uma hora e meia de áudio em mp3 para escutar no natal em família. Músicas que centralizam o natal na comemoração na Pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo!


Jesus nasceu mesmo no dia 25 de Dezembro, afirma estudo



Fonte: Carmadélio

O primeiro testemunho indireto de que a natividade de Cristo foi em 25 de dezembro partiu de Julio Africano no ano 221.
A primeira referência direta de sua celebração aparece no calendário litúrgico filocaliano do ano 354 (MGH, IX, I, 13-196): VIII kal. Ian. natus Christus in Betleem Iudeæ (“no dia 25 de dezembro nasceu Cristo em Belém da Judéia”). A partir do século IV, os testemunhos deste dia como data do nascimento de Cristo tornam-se comuns na tradição ocidental. Na oriental, prevalece a data de 6 de janeiro.
Coincidentemente, em 25 de dezembro, celebra-se em Roma o die natalis Solis invicti, o dia do nascimento do Sol invicto, a vitória da luz sobre a noite mais longa do ano. A liturgia de Natal e os Padres da época estabeleciam um paralelismo entre o nascimento de Jesus Cristo e expressões bíblicas como “sol de justiça” (Ml 4, 2) e “luz do mundo” (Jo 1, 4ss.)
NOVAS DESCOBERTAS CONFIRMAM A TRADIÇÃO CRISTÃ
Nos dias de hoje, graças aos documentos de Qumran*, podemos estabelecer o dia 25 de Dezembro como o dia preciso do nascimento de Jesus. Essa é, de fato, uma descoberta extraordinária feita por Shemarjahu Talmon, docente judeu, da Universidade Hebraica de Jerusalém.
Procuremos compreender o mecanismo, que é complexo, mas fascinante. Se Jesus nasceu no dia 25 de Dezembro, a sua concepção virginal ocorreu, obviamente 9 meses antes. E, com efeito, os calendários cristãos colocam no dia 25 de Março a Anunciação do Anjo S. Gabriel a Maria.
Mas sabemos pelo próprio Evangelho de S. Lucas que, precisamente seis meses antes, tinha sido concebido por Isabel, João, o precursor, que será chamado o Baptista. A Igreja Católica não tem uma festa litúrgica para esta concepção, mas a Igreja do Oriente celebra-a solenemente entre os dias 23 e 25 de Setembro; ou seja, seis meses antes da Anunciação a Maria.
De fato, é precisamente da concepção do Baptista que devemos partir. O Evangelho de S. Lucas abre-se com a história do velho casal, Zacarias e Isabel, já resignado à esterilidade – considerada uma das piores desgraças em Israel. Zacarias pertencia à casta sacerdotal e, um dia, em que estava de serviço no Templo de Jerusalém, teve a visão de Gabriel (o mesmo anjo que aparecerá seis meses mais tarde a Maria, em Nazaré), o qual lhe anunciou que, não obstante a idade avançada, ele e a mulher iriam ter um filho. Deviam dar-lhe o nome de João e ele seria grande «diante do Senhor».
Lucas teve o cuidado de precisar que Zacarias pertencia à classe sacerdotal de Abias e que quando teve a aparição «desempenhava as funções sacerdotais no turno da sua classe». Com efeito, no antigo Israel, os que pertenciam à casta sacerdotal estavam divididos em 24 classes, as quais, alternando-se segundo uma ordem fixa e imutável, deviam prestar o serviço litúrgico no Templo, por uma semana, duas vezes por ano. Já se sabia que a classe de Zacarias – a classe de Abias – era a oitava no elenco oficial. Mas quando é que ocorriam os seus turnos de serviço?
Ora bem, o enigma foi desvendado pelo professor Shemarjahu Talmon, docente na Universidade Hebraica de Jerusalém, utilizando investigações desenvolvidas também por outros especialistas e trabalhando, sobretudo, com textos encontrados na Biblioteca essena de Qumran.
O estudioso conseguiu precisar em que ordem cronológica se sucediam as 24 classes sacerdotais. A de Abias prestava serviço litúrgico no Templo duas vezes por ano, tal como as outras, e uma das vezes era na última semana de Setembro. Portanto, torna-se verossímil a tradição dos cristãos orientais que coloca entre os dias 23 e 25 de Setembro o anúncio a Zacarias.

Mas esta verossimilhança aproximou-se da certeza porque os estudiosos, estimulados pela descoberta do Professor Talmon, reconstruíram a “fileira” daquela tradição, chegando à conclusão que esta provinha diretamente da Igreja primitiva, judaico-cristã, de Jerusalém. Esta memória das Igrejas do Oriente é tão firme quanto antiga, tal como se confirma em muitos outros casos.
Eis, portanto, como aquilo que parecia mítico assume, improvisamente, uma nova feição apodítica – Uma cadeia de acontecimentos que se estende ao longo de 15 meses: em Setembro o anúncio a Zacarias e no dia seguinte a concepção de João; seis meses depois, em Março, o anúncio a Maria; três meses depois, em Junho, o nascimento de João; seis meses depois, o nascimento de Jesus. Com este último acontecimento, chegamos precisamente ao dia 25 de Dezembro; dia que não foi, portanto, fixado ao acaso.
tradução realizada por pensaBEM.net
Nota:
* Os manuscritos de Qumran foram descobertos em 1947, perto das margens do Mar Morto, na localidade de Qumran, onde a seita hebraica dos Essênios tinha, nos tempos de Jesus, a sua sede principal. Os manuscritos foram encontrados em ânforas, provavelmente escondidos pelos monges da seita, quando tiveram de fugir dos romanos provavelmente entre 66 e 70 d.C. Aqueles pergaminhos deram-nos os textos de quase todos os livros da Bíblia copiados de dois a um século antes de Jesus e perfeitamente coincidentes com os que são usados hoje pelos hebreus e pelos cristãos (cfr. Hipóteses sobre Jesus, Porto, Edições Salesianas, 1987, p. 101).
BIBLIOGRAFIA
RATZINGER, Josef  El espíritu de la liturgia. Una introducción (Cristiandad, Madrid, 2001).
TOLLEY, Thomas J. The origins of the liturgical year, 2nd ed., Liturgical Press, Collegeville, MN, 1991 (tradução italiana: Le origini dell’anno liturgico, Queriniana, Brescia, 1991).
Fonte: Corriere della Sera, 9 de Julho de 2003

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

122 - História da Igreja - parte 7




Completamos nosso estudo sobre a História da Igreja! Finalizando até os nossos tempos...
Conduzido pelo Professor Felipe Aquino da Canção Nova, temos aí este tesouro ao seu acesso e conhecimento! 2000 anos de histórias resumidíssimas em 7 áudios!
Baixe, ouça, estude e divulgue!
Deus os abençoe!